Ação

Filósofos não criam resultados!

Por a 20 Outubro, 2018

Boa noite malta,

A semana correu bem?

A minha foi a mil à hora, o meu “plano de 3 meses em loucura” está a terminar, já vou no dia 82, e não podia estar mais satisfeito com todos os resultados gerados neste “momentum”.

 

Nesta caminhada, tenho observado o tipo de pessoas na ação, identifiquei dois tipos, os que metem as mãos à obra e aqueles que falam de tudo mas trabalham pouco ou nada. Aos primeiros, eu chamo de “loucos” e aos segundos, chamo de “filósofos”.

Quando inicias um projecto, seja a nível pessoal ou profissional, deves encontrar o teu parceiro ou a tua equipa, isto porque até podes ser o “Cristiano Ronaldo” da coisa, mas sem uma equipa, vais limitar os teus resultados. Partindo do principio que a “equipa” é a peça chave para o sucesso do projecto, tens de escolher bem os teus “parceiros de guerra”, e é aqui que se dá o problema, porque se aparecem “filósofos” estás lixado, vais trabalhar todo o projecto e eles apenas te vão dar opiniões sem experiência, dizem sempre que leram no livro x…. ahahahah

 

Então vamos lá ao fundo da questão, a leitura é algo indispensável, na minha área, o que eu defendo é que é incoerente uma pessoa querer ter liberdade financeira e tempo, quando apenas estudou os livros da escola, foi ensinado por professores que não têm esse estilo de vida e foi influenciado pela visão da familia, que na maioria dos casos, não dispõe dessa vivência. Na minha visão, temos de ler livros de pessoas que já possuem essa vida, ver videos deles e se possível contactar pessoalmente com eles. Mas será que chega? Claro que não! Tudo aquilo que aprendemos com estas ferramentas, de nada serve se ficarem no nosso cérebro ou no papel, temos de executar na ação tudo aquilo que aprendemos, e estar predisposto a ter esta ação durante anos, com altos e baixos, até um dia o nosso objetivo se concluir. E isto aplica-se a qualquer área, a qualquer projecto de vida pessoal ou profissional!

 

Portanto, se me dessem a escolher uma equipa de pessoas sem leitura mas com muita ação ou uma equipa de “filósofos”… Posso vos garantir que em 1 segundo escolheria os “loucos”! Ia aproveitar a sua predisposição para lutar, aconselhava os melhores livros, e tenho a certeza que a vitória era certa a médio/longo prazo. Agora, e se eles não quisessem ler? Será que mudaria a minha opinião? Claro que não! Mesmo não lendo, os “loucos” não desistem pelas 1000 vezes que batem com a cabeça na parede, eles continuam em busca do caminho certo, e só param quando está atingido, não param quando estão cansados. Por sua vez, os “filósofos” são aquelas pessoas que passam os dias todos a ler, fazem mil cursos, acham que sabem tudo, dão opiniões de tudo, mesmo sabendo que nunca tiveram experiência. Normalmente, este tipo de pessoa nunca atinge grandes resultados, apenas a sobrevivência… E o que mais me irrita nesta malta, é que contestam tudo o que os outros fazem, trocam o plano várias vezes, e mesmo sem resultados, têm sempre uma atitude de superioridade intelectual, quando na realidade, a leitura não lhes mete o “pão na mesa”, muito menos a liberdade!

 

Por fim amigos, se tiverem equipas nestes termos, aconselhem as pessoas a preferirem a ação, a leitura diária em 30 minutos, e perguntem-lhes os resultados das pessoas que apenas lêem, talvez isso os faça despertar para a realidade. E claro, se tiverem um único “louco” na equipa, foquem-se em ajudá-lo, ele vai produzir mais do que 100 filósofos juntos!

 

Grande abraço

Nave

 

TAGS
RELATED POSTS

LEAVE A COMMENT

ANDRÉ NAVE
Lisboa, Portugal

André Nave, mais conhecido por “Nave”, jovem empreendedor, tem 25 anos, nasceu num seio familiar honesto e trabalhador, tímido, mas com objetivos e sonhos grandes. Finalizou a sua licenciatura de Comunicação e Marketing em 2014, onde trabalhava em cafés e call centers enquanto estudava, de seguida ingressou na sua área, no mercado tradicional, em empresas multinacionais, estava completamente iludido sobre o seu futuro de vida, tendo tomado uma decisão inequívoca de lutar pelos seus sonhos, utilizando a mentalidade empreendedora como veículo.