Mentalidade

Um dia tu vais encontrar a luz!

Por a 23 Setembro, 2018

Boas malta!

Semana a mil à hora, sempre em reuniões e eventos, nem consegui publicar muitas “stories”… mas valeu a pena pela produção!

E a vossa como correu?

 

Hoje estava a pensar naqueles momentos em que parece nascer um “momento de oportunidade” na nossa vida. Quantos de vocês já sentiram isso? E quantas vezes?

A maioria de nós, andamos insatisfeitos com a vida, seja pela ambição e pouca ação, seja por pouca ambição e não cobrir as necessidades básicas. Passamos pela vida a queixar-nos, de tudo, poucos estão satisfeitos e realizados, podemos estar a falar de uma percentagem quase inexistente…

Quando acordamos, já estamos chateados, gostaríamos de ficar mais tempo na cama mas temos ordens do chefe a cumprir, pegamos no carro ou no comboio, uma multidão e trânsito para aturar, voltamos a queixar-nos dessas situações, chegamos ao trabalho, vamos para o nosso posto e sabemos que temos muita coisa a fazer, passamos a manhã a olhar para o relógio, queremos muito o tempo de almoço para sair dali… Hora de almoço! Yeahh!! Vamos comer, fila para comer, olhamos para o menu, “deixa-me cá ver o que fica mais barato”, acabamos de comer, olhamos para o relógio e deprimimos, faltam 10 minutos para voltar ao trabalho, lá vamos nós a andar e a olhar para o chão desmotivados. De regresso ao trabalho, o que acontece? A mesma coisa! ahahah Muito trabalho e voltamos a olhar para o relógio, “f***** ainda faltam 4 horas!!”, baixamos a cabeça e tentamos fingir que até estamos a ser produtivos…

17:30h? Vamos começar a arrumar as coisas, a ver se o chefe não nota que já parei de trabalhar. 18h? “Já são horas, espectáculo. Siga a correr para o trânsito!”. Chegamos ao carro/metro, o drama, o choque, “porra pah, mas decidiu ir tudo a esta hora?!”, mais uma seca e confusão.

Quando chegamos a casa, o alivio aparece, mas de repente lembram-se que o jantar não se faz sozinho, feitas as tarefas da casa, segue-se o sofá, uma panóplia de programas de “topo”, desde casas com cameras e malta a jogar ao “Quem fizer a cena mais porno ganha.” (ahahah), também existem novelas com exemplos super realistas (lol), ou temos a bola (para o homem, juntar o benfica e uma jola enquanto vê 22 milionários num campo é cena de “macho”)…

23h!! Depressão!! “Pah amanhã é dia de trabalho”… xixi e cama!

Dia seguinte: Exactamente igual a todos os dias úteis do ano, no Sábado é a loucura, jantares, cinema, passeios, gastar dinheiro à maluca (depois choram no final do mês), quando chega o Domingo… depressão outra vez, “amanhã já é dia de trabalho”!

 

Vá malta digam-me lá, é isto que acontece com a maioria, certo? Não quero ser arrogante, mas o gajo que me disser que não concorda, vai ter de me explicar como conseguiu chegar a Marte, é que claramente está a ver outro “jogo”.

Esta história toda para vos dizer que a maioria das pessoas está a passar por isto, mas por vezes, temos aquele momento mágico, “Mas que raio de vida é esta c******?!” … E é precisamente no momento em que nos questionamos que a luz ao fundo do túnel aparece, porque o nosso foco começa a estar alinhado com a procura de soluções de mudança. Nestes momentos, há dois tipos de pessoas, as que aproveitam o sentimento de revolta, vão procurar soluções, estão mais abertos a outras propostas de mercado, e por fim temos aquelas que sabem que a vida está na m****, mas para mudar estão à espera que lhes caia uma barra de ouro na “sopa”, nunca se mexem, apenas reclamam…

 

E para quem chegou até aqui na leitura, decerto estará a lembrar a história que escrevi em cima e a pensar: “Então mas o gajo esqueceu-se de falar nas férias”, e a resposta é: Sim eu sei que não falei nas férias, porque na maioria não existem, não há dinheiro para ir conhecer o Mundo, conhecem o bairro onde vivem, vão à “terrinha” ver a família, e se entrarem na loucura, vão 3/4 dias para a Quarteira e estendem a toalha na calçada porque a praia já tem mais gente que areia. ahahahah

 

Bom domingo malta, não desesperem (há sempre luz..), esta semana vou para a Polónia apostar na formação de Marketing, pensem nesta mensagem, e quando virem a “luz” não desperdicem, mexam-se!!

 

Grande abraço,

Nave

TAGS
RELATED POSTS

LEAVE A COMMENT

ANDRÉ NAVE
Lisboa, Portugal

André Nave, mais conhecido por “Nave”, jovem empreendedor, tem 25 anos, nasceu num seio familiar honesto e trabalhador, tímido, mas com objetivos e sonhos grandes. Finalizou a sua licenciatura de Comunicação e Marketing em 2014, onde trabalhava em cafés e call centers enquanto estudava, de seguida ingressou na sua área, no mercado tradicional, em empresas multinacionais, estava completamente iludido sobre o seu futuro de vida, tendo tomado uma decisão inequívoca de lutar pelos seus sonhos, utilizando a mentalidade empreendedora como veículo.